Varejo sustentável: mulher comprando legumes em supermercado

7 dicas práticas para tornar o seu varejo sustentável

Tornar o varejo sustentável é uma medida importante de responsabilidade social. Ela colabora com o meio ambiente e os recursos naturais, que são fundamentais para assegurar o bem-estar das gerações atuais e futuras. Por isso, também tem impactos econômicos e sociais.

A questão também é pesquisada por clientes: muitos consumidores pesquisam a empresa para entender as práticas adotadas no dia a dia antes de decidir pela compra. Considerando a importância da sustentabilidade e o crescimento da conscientização sobre o tema, a medida também colabora para a construção de uma boa reputação para o negócio. 

Mas como aplicar a sustentabilidade no varejo? Ao considerar colocar a ideia em prática, é normal surgirem dúvidas, então preparamos 7 dicas que vão ajudar. Vamos lá?

1. Substitua as sacolas plásticas

As sacolas plásticas são bastante controversas: a dificuldade de decomposição e grande quantidade de resíduos gerados faz com que elas sejam prejudiciais ao meio ambiente.  Assim, vale a pena investir em alternativas para que os clientes levem as compras, como as sacolas de papel ou caixas de papelão, nos supermercados.

Também existem outras opções, como as sacolas retornáveis ou aquelas desenvolvidas com foco no meio ambiente. O plástico verde, o bioplástico e o material reciclado são alternativas que ajudam a manter o varejo sustentável. 

Nesse caso, vale ter campanhas de conscientização para que clientes e colaboradores entendam a importância da prática. Afinal, é preciso incentivar a participação de todos para a sustentabilidade ambiental. 

2. Troque as embalagens de isopor

Você sabia que o isopor tem um tempo indeterminado para a decomposição? Inclusive, alguns fabricantes informam que ele não se desintegra no meio ambiente. Por isso, ele pode ser um grande vilão para a natureza.

Certamente, existem situações em que o material deve ser utilizado. No entanto, vale sempre avaliar se ele não pode ser substituído por outros produtos, como embalagens de papel ou de papelão, plásticos biodegradáveis, entre outros. 

Na verdade, sempre que se trata de embalagens, vale pesquisar as opções do mercado para encontrar alternativas biodegradáveis. Assim, mesmo que o material não tenha a destinação correta após o uso, ela causará menos impactos ambientais. 

3. Use tags eletrônicas

A divulgação correta dos preços é uma obrigação das empresas para seguir o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e não ter problemas com fiscalização ou processos judiciais. Aqui, o mais comum é usar etiquetas impressas e substituí-las em caso de mudança no valor, gastando um volume maior de papel e outros materiais.

Mas você sabia que existem tags eletrônicas que são mais sustentáveis e ajudam na gestão? Elas exibem o preço dos produtos nas prateleiras e ficam vinculadas ao sistema. Assim, quando há atualização do valor, ele é alterado automaticamente na etiqueta. Além de colaborar com a manutenção de um varejo sustentável, há menos riscos de problemas com diferenças de valores exibidos nas prateleiras e no caixa. 

4. Tenha práticas para prevenção de perdas

As perdas de produtos significam prejuízos para a empresa, mas também prejudicam o meio ambiente, afinal, há o desperdício de recursos naturais. Dessa maneira, é preciso ter boas práticas para evitar essas ocorrências.

Por exemplo: armazenamento correto, formas de manuseio, controle de estoque e de prazos de validade, entre outros fatores. Em um mercado, por exemplo, frutas e vegetais são produtos delicados e os problemas durante o transporte, guarda e exposição podem danificá-los, impedindo a venda. 

5. Forneça centros de reciclagem

Um dos fatores que causam poluição e problemas no meio ambiente é o descarte incorreto de produtos. Existem alguns itens específicos que exigem cuidados especiais após o uso, como as pilhas e baterias.

Nesse caso, o seu estabelecimento pode oferecer o local específico para descarte, dando uma opção para os clientes levarem os itens já utilizados e garantir a destinação correta. Esses produtos em meio ao lixo comum pode causar danos, pois contém metais pesados que podem contaminar a terra e os lençóis freáticos.

Outros itens especiais que podem ter centros de coleta e reciclagem, conforme o tipo de produto comercializado, são: óleo de cozinha, lâmpadas fluorescentes, aparelhos eletrônicos (celulares, notebooks etc.), termômetros e remédios. 

6. Separe e descarte o lixo corretamente

A separação do lixo produzido facilita a destinação correta dos resíduos para a reciclagem. Para tanto, vale participar da coleta seletiva, caso a prefeitura forneça, ou procurar cooperativas e outras empresas que trabalhem com a prática. Isso ajudará na reutilização dos materiais, reduzindo os impactos ambientais do lixo.

Aqui, também vale distribuir lixeiras que separem lixos orgânicos dos recicláveis pelo estabelecimento — inclusive para uso dos clientes. Caso seja viável, vale investir na separação ainda maior, com latas de lixo específicas para descarte de metais, papéis, plásticos, vidros, etc.

7. Utilize encartes virtuais

O volume de papel gerado em campanhas e divulgações costuma ser grande. Nos supermercados, os encartes com as ofertas são frequentes e usam bastante material. Sabemos que não é possível parar com as campanhas e que elas devem chegar aos clientes, então que tal aproveitar os meios digitais?

Você pode utilizar as redes sociais para divulgar as ofertas e garantir que elas estejam acessíveis aos clientes. O envio por WhatsApp, e-mail, SMS e outros canais de contato disponibilizados pelo consumidor também podem ser usados. Caso tenha um site, que tal uma aba específica para anunciar todas as promoções?

Todas as medidas garantem que os clientes interessados consigam ter acesso às campanhas e preços da sua empresa. Inclusive, elas aumentam o alcance da divulgação, trazendo ainda mais benefícios. Lembre-se de que muitos consumidores fazem pesquisas na internet para ajudar nas decisões de compra, então vale investir nesses canais. 

Para ajudar a implementar o varejo sustentável, é necessário ter boas ferramentas. Aqui, a dica é ter um CRM que ajude na gestão de ofertas e em outras tarefas do dia a dia, o que facilitará o controle das medidas focadas em sustentabilidade. Além disso, vale lembrar que, com o suporte da tecnologia, é possível otimizar a administração do negócio e melhorar os resultados obtidos. 

Quer mais dicas sobre melhorias para o seu estabelecimento? Confira agora o nosso conteúdo sobre acessibilidade no varejo e como adaptar o seu negócio à diversidade!

IZIO

View posts by IZIO
A IZIO é uma empresa especialista em tornar o #varejointeligente, usando #cashback e #crm para administrar o #loyalty. Conectamos as marcas, o varejo, a indústria com o #shopper
Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami